Irlanda, Viagem

Irlanda ♥

Olá 🙂 Demorei um pouquinho para postar pois rolou uma mistura de falta de tempo + preguiça hahaha e eu acho que temos que estar em muita paz de espírito para escrever um post, tem que ser num momento legal!

Estava lendo o blog da Lívia esses dias e também conversando no Twitter, li sobre os posts de viagens que ela está fazendo no blog, comecei a relembrar as viagens que já fiz e também de como eu não vejo a hora de tirar férias! hahaha (quem não vê!). Resolvi escrever um pouco sobre minha primeira viagem independente (sem ser com os pais), mas não quero falar de planejamento nem nada disso, quero falar de como foi esse tempo que passei em um dos lugares mais sensacionais que existe, a Irlanda ♣!

Tirando toda a história de como fomos parar na Irlanda (conto em outro post), eu e meu marido nos casamos no final de 2007 (23 de novembro), e a viagem estava marcada para o dia 30/12 daquele mesmo ano, chegaríamos lá no último dia do ano, o que já foi o primeiro fato legal! Este ano e o ano seguinte, foram sem dúvida os melhores anos que já tive de um modo geral, foi tão legal! E olha que nem tudo foi uma maravilha apesar de estarmos em um país diferente, passamos por muitas experiências que provavelmente não passaríamos se estivéssemos no Brasil.

Antes de ir, eu nunca fui muito de querer viajar para outros países, pelo menos não naquela idade (20 anos, oiii hahaha, quase 21), mal sabia eu o que ia perder se não fosse! Eu não ligava pra falar outra língua, e na minha cabeça, nunca iria viajar para fora, porque achava que meus pais nunca gastariam esse dinheiro comigo. Na verdade foi tudo tão rápido, que eu só me dei conta que ia viajar quando realmente estava no avião (#sdds).

Lembro como se fosse ontem a sensação de estar num lugar totalmente diferente, parecia que estávamos num filme! A arquitetura é tão diferente da nossa, parece um museu a céu aberto (isso porque era Dublin, imagine quando eu fosse pra outros países hahaha). A capital do país era uma cidade do tamanho de Campinas só que infinitamente mais fácil de se andar, no centro basta olhar para a Spire e logo você se acha, imaginem a cena: nós dois andando felizes na rua, quando nos deparamos com uma agulha GIGANTE:

Spire

The Spire, O’connel Street
Chegando em Dublin, ficamos numa casa de família, era um casal mais velho que nos recebeu: Anne e Thomas, simpatia de pessoas, ficamos 1 mês com eles, foi muito legal! Depois partimos para procurar uma casa para alugar, esse foi nosso primeiro desafio… Depois de muita procura e alguns fatos que também vou deixar para outro post haha, conseguimos achar uma casa (#sdds2) moramos com 3 coreanos da escola (Jason, So Young e Alex), detalhe para o lugar em que ficava nossa casa:

Hybreasal

Hybreasal, era o condomínio onde morávamos.
coreanos

So Young, Eu, Alex e Rômulo (marido :D), todos novos! hahaha Jason não morava ainda na casa.
Passado algum tempo, arrumamos emprego em um cyber café (eu em um e marido em outro), nesse meio tempo pudemos conhecer pessoas, passar por situações engraçadas, aprender o inglês na prática (eu tinha zero de conversação e listening) e evoluirmos como pessoas, claro 🙂 No início de 2008, a Irlanda passava por vacas gordas, o país estava num boom, muita gente indo para lá a procura de trabalho (principalmente do leste europeu) e também muitos estudantes buscando aperfeiçoar o Inglês, já que era/é o único país de lingua inglesa pertencente a União Européia.

Agora vou citar fatos que nos aconteceram, assim fica mais fácil, pois foi tanta coisa!

– Quando estávamos buscando uma casa para morar, um casal de brasileiros (fdps, sorry) nos passaram a perna e acabamos perdendo uma grana preciosa no começo da vigem, sem emprego e só com o dinheiro para passar um tempo (em cash), os infelizes pioraram nossa situação… Nossa sorte foi que nosso colega de escola coreano nos emprestou MIL EUROS, sim, muita grana pra emprestar logo de cara! Thx Jason!

– Trabalhando no cyber café, conhecemos o dono, um doido chamado Richard Murphy, ele tinha mais não sei quantas lojas em todo o país, era RYCO hahaha, tivemos algumas oportunidades com ele, pudemos juntar um bom dinheiro, e trabalhamos 40/h semanais graças a ele (e mais um monte de histórias que fica para outro post tbm hahaha). Ele até nos levou para a Giant Causeway na Irlanda no Norte, sensacional!!!

– Nessa época de 40/h semanais, mudamos para um apartamento, moramos só nos dois (#sdds3), foi muito bom não ter que dividir com mais pessoas, sem contar que o ap era top, quero ter um desses um dia! hahaha

– Teve uma vez que estávamos nesse ap, e como não tinha porteiro (era tudo eletrônico), as vezes entravam uns malucos, numa dessas vezes entrou um grupo de caras provavelmente muito bêbados e começaram a correr pelados pelo jardim de inverno na CHUVA com ZERO graus hahahahahaha foi muito engraçado e retardado.

– Como poderia esquecer de falar do St. Patrick’s Day? Nossa, foi D-E-M-A-I-S, se você tiver a oportunidade de ir para a Irlanda, vá nessa data: 17 de março!

– Por fim, como tudo que é bom dura pouco 🙁 o ano que tinha tudo para ser sensacional, não terminou de um jeito lá essas coisas… 2008 como todos sabem, foi o ano da crise mundial, a Irlanda como alguns outros países praticamente quebraram, muita gente voltou para casa (brasileiros e outros estrangeiros) e os planos de ficarmos mais um pouquinho foram por água a baixo * lágrimas * mas eu acho que nem tudo acontece por acaso, e hoje posso dizer que quero voltar para lá o mais rápido possível, quero matar a saudade desse país tão maravilhoso, de pessoas felizes e simpáticas!!

– Ahh, só mais uma coisa: eu era vizinha da fábrica da Guinness \o/

E é isso, com certeza vou fazer mais posts detalhando alguns acontecimentos importantes e engraçados dessa viagem, alguns eu lembro até hoje e dou muita risada!!! Se você está indo viajar, seja para um intercâmbio ou para férias, aproveite ao máximo! Não se leve tão a sério, ria das situações retardadas (que normalmente você ficaria muito puto!), não se desespere com imprevistos, tudo tem solução nessa vida! A viagem passa rápido como tudo que é bom, então faça muito bom proveito porque cada viagem é única e aquele tempo não volta mais!

Até o próximo post, espero que você tenha gostado 🙂

4 Comentários